6.19.2008

Preto e Branco





Às vezes eu tenho vontade de ser “nada”. Veja bem, não é uma vontade de morrer.
É uma vontade de ser a cor branca ou a preta. Um absoluto que é simplesmente impossível de se experimentar com toda a nossa vitalidade humana e suas vaidosas relatividades.


Lara

7 comentários:

Salve Jorge disse...

Quando você quiser ser nada
Não que seja vontade de morrer
Mas de estar assim integrada
Numa totalidade completa
Onde não tem como se perder
Alheia aos relativismos humanos
Pense em mudar de planos
E traçar outras metas
Pois pra mim não parece
Que vossa excelência merece
Ficar subsumida no homogêneo
Se é tão luminoso teu estilo
Que tanto me apetece
Mais essencial que oxigênio
Então por que baní-lo?
Melhor destacar
Que nem arco-íris
Depois da chuva
Sempre tem arco-íris...

Vinícius disse...

.

acho que todos nós, em algum momento, temos essa mesma vontade... eu já tive em alguns momentos. hoje não tenho mais, hoje quero ser TUDO. auhahuhau

quanto as minhas cartas, obrigado pelos elogios de sempre... o livro n é uma má idéia... só não sei nem por onde começar. :S

abração

.

,,, aquela que voa disse...

também tenho essa vontade. Mas, às vezes me acho mais neutra... nem tão decidida qto uma cor forte só (branco, preto, azul, vermelho, verde); nem tão colorida qto uma colcha de retalhos. Talvez falte decisão. bjs :*

Cineasta 81 disse...

Eu tambem. Se a vida é uma roda, quando morrer não quero voltar.
Não espero morrer por agora, auahua, mas queria pular fora do jogo, partir pra outra melhor hehe

Sujeito Oculto disse...

Eu prefiro ser música.

Estava Perdida no Mar disse...

Eu prefiro ser invisível.

Luma disse...

Lara, eu me senti em branco lendo a última frase, porque não entendi!! Branco pra mim está ligado a vazio, algo a ser preenchido. Ontem eu pensei que seria bem mais fácil pra mim ser fútil, bem fútil! Estou cercada de futilidades e isso tem me corrompido a alma. Não, não vou me entregar!! ;) Beijus