2.12.2008

Obviedades

Sentada na pequena roça, que é o quintal da minha casa, percebi algo interessante e ao mesmo tempo óbvio sobre os quatro cachorros que por aqui habitam.

Tudo o que eles fazem, cada um ao seu modo e personalidade própria, é em defesa de seu pretenso território. Mijam por toda a parte, latem para qualquer ameaça externa, brigam e rosnam entre si, dominam o controle da ração.

A constatação é: Como são parecidos conosco esses bichinhos, vivem em função do crêr da posse, da tentativa do ser dono, acreditam mesmo que algum lugar lhes pertence.

... ... ... ... ...

A propósito, da esquerda para a direita: Sadã, Pig, Kurô (in memorian), Picachu e Oxi: Os donos do pedaço por aqui.

6 comentários:

Lady Lycosa disse...

h que fofos!! adoro cães, tenho uma poodle toy que é uma graça. Cara, somos muito parecidos mesmo nas coisas "ruins" deles, más podiamos ser parecidos em uma coisa boa pelo menos...o amor incondicional que ele possuem...é de apertar o coração as vezes...heehhe
mil beijocas!

polly disse...

todo mundo sempre querendo proteger alguma coisa né! *-* bela foto

Salve Jorge disse...

Eu adoro cães. Tenho um salsichinha chamado Marley.. antes tive um vira-lata chamado Raul.. e concordo no territorialismo dos cães.. talvez por isso, eu goste dos gatos por serem mais "do mundo".. enquanto os cães são mais localizados e parados.. mas enfim.. risos.. nem sempre é assim também..
Mas muito simpáticos seus cães.. risos.. ao menos na foto...

luma disse...

Oi, Lara! Achei graça no seu comentário no blogue da Luci Lacey (hippo). :=))) hehehehe você confundiu ela comigo e a chamou de Luma! Beijus

Vinícius disse...

.

saudades do tempo que podia ter cachorro uhahuahua

tolos os que pensam que têm algo, afinal tudo está a mercê de todos e pode nos ser tirado a qualquer momento.

abraço

.

Quintino d'Souza disse...

Na república em que vivo temos alguns animais:
Um Cara que se parece com um gato – independente, esquivo e auto-suficiente.
Outro que parece uma avestruz – se esconde e vive uma realidade paralela.
Eu – uma cachorro vadio e vira-lata, gordo e dono do mundo.
e uma Vira-Lata que jura que é gente, dissimulada, esperta e muito inteligente.