10.18.2009

Do cotidiano louco...

Opa! Estou de volta ao blog mais abandonado do pedaço! E tantas coisa andam acontecendo que nem sei como registrar tudo aqui, creio que não é possível. Primeiro porque é muita coisa, das mais banais às mais chocantes histórias. Segundo porque nem eu mesma tô entendendo tudo o que tem se passado, meus pensamentos parecem gritar em uma língua que me é pouco familiar. Faz mais de dois meses desde o ultimo post, parecem anos, me sinto muito mais velha, bem mais cansada.


*****A primeira coisa mais marcante desses dias foi a morte do meu avô Geraldão. Só quem o conheceu pode entender a falta que ele faz. Ele não era um avô comum, era boêmio e mulherengo, contava histórias sobre suas conquistas e façanhas, fazia rir com a facilidade de uma criança. Jogava truco como ninguém. Em fim, das pessoas que já fizeram falta na minha vida, ele com certeza foi o que deixou o maior espaço inconsolável.


*****Na família (pequeno núcleo) ocorreram coisas tão chocantes que eu não poderia descrever aqui sem expor alguém ao ridículo. Posso dizer que, os ares em casa são de tristeza e de recuperação, de tristeza e esperança, e às vezes são só de tristeza mesmo...decepção. Que Deus, tendo planos maiores que tudo isso, nos ilumine.


*****Quanto ao coração “mesmo”, continuo apaixonada pelo namorado, amor mais lindo da minha vida. Mas o relacionamento, o namoro em si, depois de cinco anos...sei lá... por tempos fica meio embaçado. Às vezes me sinto manipulada, às vezes manipulando...e isso me irrita muito. Sempre preferi as coisa claras e diretas, mas ultimamente isso parece difícil demais. Tentar entender e tentar me fazer entender tem se tornado um jogo cansativo. Em fim, farei o possível para que isso seja uma fase passageira...


*****O trabalho no Judiciário tem sido mais gratificante, não só financeiramente, tenho aprendido muito e trabalhado bastante feliz. Se tudo der certo, começo a faculdade de Direito no ano que vem, apesar de passar boa parte do tempo me questionando sobre o que é de fato justo neste mundo. Será que vou ter paciência para outra faculdade???


***** Ah! Comprei um carro, embora não tenha muita coragem de dirigir. Faz parte do Plano “faculdade de direito”, mas talvez atrapalhe. As mensalidades dos dois (carro e faculdade) são bem carinhas. Em fim, mais um medo para vencer, e mais lições de economia para aprender.

Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!!!! O post já está super grande, paro meus registros por aqui, sem pé nem cabeça mesmo... se não não tenho tempo de visitar meus colegas.

Um abraço!

3 comentários:

Sujeito Oculto disse...

Nossa, acho que esse é o primeiro post que mudou o tom aqui no seu lar. Engraçado que ele tem tudo a ver com a música que está tocando no meu iPod agora, Corduroy, do Pearl Jam, embora não ao pé da letra.

Queria poder dizer algo. Que as pessoas vivem na memória, que famílias são complicadas, que relacionamentos são assim e que dinheiro vai e vem. Mas não sei o que disso é verdade.

Salve Jorge disse...

Somente Dona Lara
Pra fazer de um saara
Beleza rara
Até cotidiano louco
Se colore um pouco
Com sua energia, minha cara...

Ligian disse...

FAzia tempo que não passava por aqui e fiquei feliz de ver que, apesar da minha ausência e de todo o tempo que se passou, você continua escrevendo de forma simples e bonita! Sinto muito pelo seu avô... pensei muito sobre isso esses dias (perdas) e acabei escrevendo um post no meu blog... e, sem querer plagear, mas já o fazendo:
"Queria poder dizer algo. Que as pessoas vivem na memória, que famílias são complicadas, que relacionamentos são assim e que dinheiro vai e vem. Mas não sei o que disso é verdade".
beijo!